• Heloisa Namie

CONSUMO DE SÓDIO



O sódio é um mineral importante para o funcionamento do organismo, pois tem a função de equilibrar os líquidos corporais, participa na contração muscular, no fornecimento de energia ao organismo e até no ritmo cardíaco. Porém, quando consumido em excesso, o sódio causar o aumento da pressão arterial, doença renal e suas complicações e ainda pode levar ao acidente vascular cerebral (AVC).


A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o consumo de 5g de sal (equivalente a 2g de sódio) por dia para um adulto e 3g diárias para as crianças. Isto já inclui não só o sal acrescentado aos alimentos, como o que faz parte da sua composição, na totalidade de todas as refeições realizadas ao longo de um dia


Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, entre 6 e 8% das crianças brasileiras já são hipertensas. A pressão alta na infância tem uma associação significativa com o mesmo problema na vida adulta, o que significa um maior risco de doenças ligadas à hipertensão, como as cardiovasculares.


Algumas dicas são valiosas para colocar em pratica no cotidiano da família a fim de proteger a saúde de todos e principalmente das crianças:


  •  Elimine o sal de mesa. Isso evita que as pessoas que fazem as refeições a mesa com seu filho diminuam ou eliminem o hábito de adicionar sal no alimento já preparado. Lembre-se que a criança forma os hábitos alimentares através da observação do comportamento familiar.

  •  Experimente adicionar temperos naturais como: alho, cebola, orégano, cheiro verde, manjericão, louro, alecrim e muitas outras. As ervas frescas e secas conferem sabor especial aos pratos e muitas vezes o sal pode ser eliminado da preparação.

  •  Evite ou compre esporadicamente alimentos industrializados. Isso vale tanto para o salgadinho de pacote quanto para a sopa pronta, temperos concentrados, enlatados, macarrão instantâneo, embutidos, sucos de caixinha, refrigerantes, congelados e muitos outros. Além do alto teor de sódio, eles geralmente também são ricos em açúcares, gordura saturada e gordura trans.

  •  Se a criança tiver menos de 1 ano, nas primeiras sopas e papinhas, você não precisa colocar sal, porque o paladar do bebê é melhor para os alimentos adocicados, como cenoura, beterraba e mandioquinha. Na papinha de legumes natural, prefira utilizar caldo de carne ou de frango caseiro, e não há necessidade de adicionar mais sal. Saiba que caldos industrializados (em pó, cubo ou lata) têm quantidades exageradas de sal e não devem ser utilizados.

  •  Desconfie da quantidade de sal se, após a refeição, o seu filho reclamar de sede, mesmo depois de beber água.


Outra dica importante é sempre ler os rótulos nutricionais nas embalagens dos produtos. Muitas vezes o sódio pode aparecer sob diversas designações: teor de sal, sódio, NaCl (cloreto de sódio), Na (símbolo químico do sódio), glutamato monossódico, bicarbonato de sódio, bissulfato de sódio, fosfato dissodico, hidróxido de sódio e propionato de sódio. Evite os produtos que apresentam mais de 5% da dose diária recomendada (DDR) de sódio ou com mais de 1,5 g de sal por 100 g (0,6 g de sódio).



Mariana Tiemi Hara CRN 23.824

Nutricionista Pós-graduada em Fisiologia do Exercício

Especializada em atendimento Materno-infantil, obesidade e qualidade de vida

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo